Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Gato Pardo

Para quem conhece, vocês estão mais que vacinados. Vocês não conhecem isto? São maiores de idade? Trazem o vosso cartão de cidadão, boletim de vacinas e resgisto criminal? Não? Fantástico!!!

Gato Pardo

Para quem conhece, vocês estão mais que vacinados. Vocês não conhecem isto? São maiores de idade? Trazem o vosso cartão de cidadão, boletim de vacinas e resgisto criminal? Não? Fantástico!!!

Somos tão grandes que agora Jesus...já temos dois!!!

31.03.13publicado por Gato Pardo

Hoje dei por mim a ver a Bíblia.

Calma, nada de pânico. O Papa não me perdoou os inúmeros pecados (principalmente porque para bem do coração dele, desconhece-os...), não tive um ataque de diarreia e apanhei o primeiro livro que estava à mão (isso costumo ocorrer mais com Margarida Rebelo Pinto que é a minha leitura de WC de eleição...) nem tentei encontrar duplos significados naquela gaita de nomes e números metidos ao molho (tipo Gina 69:00hhh...Eis um versículo que eu até gostava de encontrar...).

Vi a dita série de que toda a gente fala. Ou porque Satanás é uma reencarnação quase perfeita do Obama (tirando que o actor é marroquino) ou porque o Diogo Morgado é Jesus...Wait...What da f*ck??? Jesus???

Então mas Jesus não era este?

Ok, desconheço se este faz milagres com a bíblia mas faz umas coisas engraçadas na América do Sul (argentinos, paraguaios, uruguaios e afins).

Agora...Este gajo é Jesus?

Se bem me recordo, era Jesus de Nazaré. Este Jesus tem mais pinta de São João do Estoril, pá!

Já deram cabo da série toda...

Nah, just kidding. O rapaz até se desenrasca bem. Daquilo que vi, gostei. Pena é já ter visto a história um trilião de vezes mas enfim, agora já podemos dizer à boca cheia que o Obama (Satanás) levou baile do Dioguinho (Jesus) que ele não foi na cantiga!

Somos grandes (nem que seja na ficção...)!

Ontem visitei um velho amigo...

31.03.13publicado por Gato Pardo

 

A vida por vezes faz-nos esquecer dos petits plaisirs da vida.

Nesse caso então, é bom mandar a vida às malvas e retomar os pequenos nadas que nos fazem sorrir.

Havia mais de dez anos que não visitava o Sr. Evaristo. No entanto, nada mudou. A amabilidade, a simpatia, a boa disposição e principalmente, a boa comida. Se existe um espaço em que a velha máxima "as pessoas que trabalham numa casa, fazem-na", este é talvez o melhor exemplo.

Entrei feliz, saí feliz. E satisfeito. Evaristo, não me metas muitas vezes a maldita açorda de lavagante à frente da vista. Eu como-a.

Lisboa para mim, tem uma beleza única de noite. Por vezes, essa beleza vem dentro de um tacho com marisco e um copo de Esporão Duas Castas branco a acompanhar.